Top Menu

O TDR (reflectômetro no domínio do tempo) está sendo usado em redes de cabos como uma ferramenta eficaz para encontrar falhas há décadas. Então por que pensar em mudar? Não se mexe em time que está ganhando, certo? Como o desenvolvimento do instrumento TDR tem sido negligenciado, agora há uma oportunidade para melhorias, como pode ser visto nesses pontos:

  • Qualquer situação de parada dos serviços obviamente requer velocidade, e um teste com TDR pode ser necessário, portanto um teste rápido e um processo tranquilo faz a diferença.
  • Os resultados de teste com TDR são usados com frequência nas decisões sobre troca ou emenda e para certificar um trecho recentemente instalado. Utilizar comunicação de dados atualizada e armazenamento na nuvem simplifica esse processo e faz com que seja mais eficiente e rápido.
  • Precisão e sensibilidade nas medições com TDR são importantes, pois em muitos casos os cabos são subterrâneos e requerem escavação. A implementação da tecnologia de etapas normalmente encontrada apenas em instrumentos de laboratório leva ao TDR portátil uma grande melhoria na sensibilidade e precisão, o que significa ter que escavar áreas menores.

TDRs com tecnologia mais antiga não são mais eficientes. Com uma visão moderna da tecnologia disponível, a VIAVI notou que um instrumento de campo poderia ser desenvolvido para oferecer melhoria significativa em recursos de medição e um processo de tomada de decisão mais rápido com o gerenciamento de dados na nuvem.

Cada técnico de manutenção deveria ter um TDR, como uma ferramenta essencial para economizar tempo e testar cabos coaxiais. Os clientes dependem cada vez mais de acesso permanente à internet, portanto a urgência em reparar falhas o mais rapidamente possível está aumentando. Quando um técnico tem um TDR à disposição, o processo pode ocorrer rapidamente sem necessidade de chamar e interromper outro técnico que tenha um TDR e pedir que ele leve o instrumento para o teste, para só então voltar ao que estava fazendo antes de ser interrompido. Isso tira dois técnicos do trabalho quando apenas um é necessário para realizar a tarefa. Com a velocidade e a eficiência do DSP TDR, a economia de tempo para recolocar os sistemas on-line, a eliminação do tempo de espera desnecessário e a eliminação do tempo desperdiçado pelo técnico, é hora de equipar cada técnico com um DSP TDR.

1. Tecnologia de qualidade de laboratório em um instrumento de campo – Encontre falhas em qualquer ponto de um cabo

Sensibilidade e precisão da medição são aprimoradas utilizando uma tecnologia TDR de pulso tipicamente disponível somente em TDRs de laboratório que não são pensadas para aplicações em campo. O DSP TDR da VIAVI implementa tecnologia de pulso em um instrumento portátil robusto, perfeito para uso no cabo em planta externa. Confira a publicação nesse blog para obter informações sobre as vantagens da tecnologia TDR do tipo step em relação à de pulso. Uma grande vantagem da tecnologia step é a sua capacidade de localizar a migração de água em cabos coaxiais.  Nota eventos que outros produtos não detectam

2.  Localize água em cabos coaxiais

Água em um trecho de cabo coaxial pode resultar de uma variedade de coisas, entre elas mão de obra de má qualidade, conexões soltas, vedação insuficiente, cabo trincado ou danificado etc. A umidade em cabo coaxial causa perdas excessivas e, embora a perda tenha um impacto detectável, sem o equipamento de teste adequado pode ser difícil localizar a água dentro do cabo até que o cabo tenha um dano significativo por corrosão. Em alguns casos, os técnicos compensam a perda extra aumentando o ganho em amplificadores sucessivos. Além disso, eles não sabem onde cavar ou trocar o trecho.

Figura 1 Traço mostrando o comprimento total do cabo, terminando em 120 metros.

Figura 2 Ampliada, mostrando de tap a tap.

Figura 3 Ampliada mais ainda, focando na cavidade com água.

Figura 4 Lista de eventos exibindo todos os eventos.

Felizmente, o DSP TDR da VIAVI, com tecnologia step tem funcionalidade necessária para detectar água em cabos. Portanto, quando uma perda excessiva é detectada no cabo, a seção danificada pela água pode ser reparada, evitando a despesa de trocar o trecho inteiro de cabo..

3. Sem ponto cego – Veja falhas de fechamento

Um “ponto cego” é inevitável em um TDR do tipo pulso, e seu comprimento depende da largura do pulso. O TDR do tipo pulso não recebe e transmite simultaneamente e deve aguardar a transmissão do pulso terminar antes de “ouvir” a reflexão. Quanto maior a largura do pulso, maior será o ponto cego.

O DSP TDR da VIAVI, usa tecnologia do tipo step e não tem ponto cego. Mas por que isto é tão importante? Em geral um técnico não sabe onde está o problema em um cabo, e esta é a razão para ele usar um TDR. Uma tática comum é pegar um jumper extra longo (do mesmo comprimento do ponto cego esperado) e usá-lo entre o instrumento e o cabo em teste. O técnico precisa guardar esse jumper para garantir que ele esteja disponível quando o teste for necessário, e o jumper pode ser danificado no transporte, sem o conhecimento do técnico, e começar a afetar os resultados da medição. Um exemplo comum de dano em cabo próximo à sua extremidade é quando um pedestal é “batido” para baixo no local e amassa o cabo. Um TDR sem ponto cego pode encontrar esses tipos de problemas em cabos.

4. Lista de eventos na tela – Economiza tempo ao localizar falhas

Using a TDR can take some skill that’s acquired with experience. The trick is to identify events in the TDR trace, and determine which Para usar um TDR são necessárias algumas habilidades que são adquiridas com a experiência. A dica é identificar os eventos no traço do TDR e determinar quais estão causando o problema. Uma coisa que ajuda nessa situação é a “lista de eventos” na qual todos os eventos de reflexão estão listados, com uma indicação da perda de retorno de cada reflexão. Alguns TDRs disponibilizam essa lista somente via software para PC, dificultando o acesso às informações e os técnicos acabam fazendo o possível com a análise de traços. O DSP TDR da VIAVI oferece uma lista de eventos simples, capacitando o técnico a ver exatamente quantos eventos estão presentes no cabo, e a determinar facilmente se são emendas, splitters ou danos no cabo.

Figura 2 da lista de eventos na tela do DSP TDR mostra ao técnico a localização dos eventos e a gravidade da reflexão.

5. Documentação simplificada – Economiza tempo

A documentação é utilizada para qualificar as novas bobinas de cabos antes do uso ou para documentar a qualidade de um trecho de cabo substituído que está pronto para ativação (prova de trabalho da contratada). Os técnicos documentam trechos ruins para demonstrar a necessidade da troca em vez de gastar tempo para reparar falhas múltiplas ou tentar reparar falhas que não podem ser consertadas. Os técnicos também documentam antes e depois dos resultados de teste com o TDR para mostrar que o trabalho foi feito.

Quando há um dano em um cabo, em geral é desejável comunicar a gravidade do dano para quem toma a decisão (gerência), para que a ação necessária para fazer o reparo seja aprovada. Tradicionalmente o traço seria salvo no TDR, transferido para um PC via um tipo de arquivo proprietário com os dados do cabo, aberto com a aplicação de software instalada e, em seguida, enviado a um gerente. Tudo isto é demorado e não é algo que um técnico deseje fazer em campo. O DSP TDR da VIAVI, conta com um adaptador Wi-Fi embutido e, com uma conexão à internet, assim, a comunicação desses dados ao gerente é bem mais simples. O gerenciamento de dados capacitado em nuvem pelo StrataSync da VIAVI está incluído em cada DSP TDR, de forma que o técnico precisa apenas sincronizar os dados, e eles estão disponíveis instantaneamente ao gerente, permitindo tomar decisões mais rápidas. Os dados do traço também podem ser mantidos indefinidamente (opção Plus) para referência futura.

Figura 3 – Dados do traço conforme armazenados no StrataSync

Por que um novo TDR?

Conforme analisado aqui, o DSP TDR da VIAVI, oferece muitas vantagens em relação aos TDRs convencionais utilizados comumente em campo hoje. Com tecnologia step sensível e precisa embutida em um instrumento de campo portátil e robusto, os técnicos podem localizar falhas em qualquer ponto no trecho de cabo, desde a extremidade próxima até a extremidade mais afastada do cabo. Essa sensibilidade permite localizar migração de água em cabos bem antes do início da corrosão e antes dos TDRs convencionais observarem essa água. A interface de usuário atualizada simplifica a operação, acelerando a resolução de falhas e a tecnologia Wi-Fi incorporada com a gestão de dados baseada em nuvem capacitam uma tomada de decisão rápida para resolver os problemas com maior agilidade.

Agora é o momento de atualizar seus TDRs existentes, além de equipar todos os técnicos de manutenção com um TDR, capacitando-os a corrigir problemas de forma rápida e eficiente, economizando tempo e baixando os custos operacionais.

About The Author

Avatar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
Close